Postagens

Mostrando postagens de Março, 2014

Dica de livro: No país das sombras longas

Imagem
“No país das sombras longas” (Hans Ruesh, 208 páginas, Editora Record*) é um livro para quem está disposto a conhecer uma cultura sem sair de casa, entender o outro e filosofar sozinho depois de ler cada capítulo.
            O livro é baseado em fatos antropológicos reais. Os personagens nos lembram da passagem da vida, mas deixe de lado a noção cronológica do tempo, que deve ser superada desde o início, pois as noites nas regiões árticas chegam a durar meses.
            O livro retrata a vida de uma comunidade de Esquimós**. Os Esquimós são considerados um povo não violento que vivem num vasto território nas frias regiões árticas do Canadá, Alasca e Groelândia.
            Os termos são insuficientes para denominar a cultura. No livro o escritor Hans Ruesh (1913 - 2007), mostra o cotidiano de Ernenek e sua família, suas dificuldades, seus sucessos e desastres nos confundem e nos faz ver a realidade com outros olhos.
            Hans Ruesh nasceu em Nápoles na Itália, era pi…

O autor na rede

Imagem
Por: Cleber Benvindo

            Conhecer a história do autor de um livro pode ser muito interessante e divertido. A internet facilita o acesso a sites que divulgam essas informações de forma gratuita.
            Monteiro Lobato, autor do livro Sítio do Pica Pau Amarelo, que já foi adaptado para a televisão e até desenho animado, por exemplo, foi um intelectual brasileiro que colaborou com a sociedade de sua época, para se ter um ideia foi o primeiro a dizer que o Brasil possuía reservas de petróleo, um dos produtos mais importantes da modernidade, conhecido popularmente como “ouro negro” e chegou a cavar diversos poços em busca desse tesouro, foi até considerado louco e ser preso, mas sem dúvida era um gênio e sua opinião mesmo que não totalmente certa, não deixou de se confirmar na atualidade.
            Tiago Trevisan, 21, é autor do livro infanto-juvenil O Castelo de Workforeh, publicado em 2010 no Primeiro Salão do Livro de Presidente Prudente, para ele “Entender melhor o livro, p…

Você sabe a diferença entre a poesia e o poema?

Por: Cleber Benvindo
Qual a diferença entre poesia e poema? Essa dúvida é engraçada porque atinge até mesmo quem escreve.
            De acordo com a professora, mestre em educação e doutora em literatura pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), Édima de Souza, a poesia está na subjetividade, na emoção que as palavras despertam ao construir o texto, que pode ser tanto em prosa ou em verso.  “Ela [a poesia] está repleta de sentimentalismo e tem a intenção de sensibilizar a partir da criação de uma suprarrealidade da vida”, afirma.
            Ainda segundo a professora, o poema é a concretização da poesia, escrito em verso, se difere da prosa por serem palavras encadeadas que formam orações, períodos.

            A professora cita também alguns textos e autores. “A crônica ‘Da Solidão’ de Cecília Meireles e os textos de Lygia Fagundes Telles, embora sejam em prosa, estão repletos de poesia”, afirma.

Expressão “mãe coruja” tem origem em fábula

Imagem
Por: Cleber Benvindo


Você já deve ter conhecido ou ouvido falar em uma "mãe ou pai Coruja", a expressão indica uma mãe muito cuidadosa que não vê defeitos em seus filhos. Mas você sabe qual é a sua origem?
O dia a dia está repleto de expressões e experiências literárias. Segundo o  livro A casa da Mãe Joana: A Origem das Palavras, Frases e Marcas de Reinaldo Pimenta (editora Elsevier, 2002) o “Corujismo” surgiu a partir da Fábula “A Águia e a Coruja” de La Fontaine.
            A Fábula diz que a Águia e a Coruja fizeram um pacto, sendo assim a Águia prometeu que não devoraria os filhotes da Coruja, para isso a ela descreveu a Águia seus filhotes como os de “maior beleza, elegância e sedução entre os bichos de pena que há na terra”.
            Como resultado em um de seus voos, a Águia faz dos monstrengos a sua refeição. Quando a Coruja reclama, a Águia só tem a acusar o erro da mãe, que não fez um retrato coerente de seus filhotes.