Postagens

Dica de livro: No país das sombras longas

Imagem
“No país das sombras longas” (Hans Ruesh, 208 páginas, Editora Record*) é um livro para quem está disposto a conhecer uma cultura sem sair de casa, entender o outro e filosofar sozinho depois de ler cada capítulo.
            O livro é baseado em fatos antropológicos reais. Os personagens nos lembram da passagem da vida, mas deixe de lado a noção cronológica do tempo, que deve ser superada desde o início, pois as noites nas regiões árticas chegam a durar meses.
            O livro retrata a vida de uma comunidade de Esquimós**. Os Esquimós são considerados um povo não violento que vivem num vasto território nas frias regiões árticas do Canadá, Alasca e Groelândia.
            Os termos são insuficientes para denominar a cultura. No livro o escritor Hans Ruesh (1913 - 2007), mostra o cotidiano de Ernenek e sua família, suas dificuldades, seus sucessos e desastres nos confundem e nos faz ver a realidade com outros olhos.
            Hans Ruesh nasceu em Nápoles na Itália, era pi…

O autor na rede

Imagem
Por: Cleber Benvindo

            Conhecer a história do autor de um livro pode ser muito interessante e divertido. A internet facilita o acesso a sites que divulgam essas informações de forma gratuita.
            Monteiro Lobato, autor do livro Sítio do Pica Pau Amarelo, que já foi adaptado para a televisão e até desenho animado, por exemplo, foi um intelectual brasileiro que colaborou com a sociedade de sua época, para se ter um ideia foi o primeiro a dizer que o Brasil possuía reservas de petróleo, um dos produtos mais importantes da modernidade, conhecido popularmente como “ouro negro” e chegou a cavar diversos poços em busca desse tesouro, foi até considerado louco e ser preso, mas sem dúvida era um gênio e sua opinião mesmo que não totalmente certa, não deixou de se confirmar na atualidade.
            Tiago Trevisan, 21, é autor do livro infanto-juvenil O Castelo de Workforeh, publicado em 2010 no Primeiro Salão do Livro de Presidente Prudente, para ele “Entender melhor o livro, p…

Você sabe a diferença entre a poesia e o poema?

Por: Cleber Benvindo
Qual a diferença entre poesia e poema? Essa dúvida é engraçada porque atinge até mesmo quem escreve.
            De acordo com a professora, mestre em educação e doutora em literatura pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), Édima de Souza, a poesia está na subjetividade, na emoção que as palavras despertam ao construir o texto, que pode ser tanto em prosa ou em verso.  “Ela [a poesia] está repleta de sentimentalismo e tem a intenção de sensibilizar a partir da criação de uma suprarrealidade da vida”, afirma.
            Ainda segundo a professora, o poema é a concretização da poesia, escrito em verso, se difere da prosa por serem palavras encadeadas que formam orações, períodos.

            A professora cita também alguns textos e autores. “A crônica ‘Da Solidão’ de Cecília Meireles e os textos de Lygia Fagundes Telles, embora sejam em prosa, estão repletos de poesia”, afirma.

Expressão “mãe coruja” tem origem em fábula

Imagem
Por: Cleber Benvindo


Você já deve ter conhecido ou ouvido falar em uma "mãe ou pai Coruja", a expressão indica uma mãe muito cuidadosa que não vê defeitos em seus filhos. Mas você sabe qual é a sua origem?
O dia a dia está repleto de expressões e experiências literárias. Segundo o  livro A casa da Mãe Joana: A Origem das Palavras, Frases e Marcas de Reinaldo Pimenta (editora Elsevier, 2002) o “Corujismo” surgiu a partir da Fábula “A Águia e a Coruja” de La Fontaine.
            A Fábula diz que a Águia e a Coruja fizeram um pacto, sendo assim a Águia prometeu que não devoraria os filhotes da Coruja, para isso a ela descreveu a Águia seus filhotes como os de “maior beleza, elegância e sedução entre os bichos de pena que há na terra”.
            Como resultado em um de seus voos, a Águia faz dos monstrengos a sua refeição. Quando a Coruja reclama, a Águia só tem a acusar o erro da mãe, que não fez um retrato coerente de seus filhotes.

Perdi um amigo

Imagem
Recebi com muita tristeza esta semana a notícia sobre a morte de Diego Santos, mais conhecido como Didi Cabeção. Segundo uma amiga nas redes sociais Diego morreu no último dia quatro devido a uma bactéria no pulmão.
            Acredito que Diego tinha menos de trinta anos, foi colunista de um site colaborativo que foi fundado por mim em 2007, em Flórida Paulista, interior de São Paulo, focado em entretenimento jovem.
            “Didi” era polêmico. Suas colunas sempre eram muito comentadas, falava sobre tudo, principalmente música e recebia muitas visitas, mesmo no início da internet, que não tinha tanta expressão em 2007 como atualmente.
            Uma de suas colunas falava da falta de cultura na cidade, o site recebeu crítica após a publicação de uma de suas colunas que dizia que o secretário de cultura da cidade estava mais preocupado com a grama de seu quintal do que realmente com sua função. Embora morasse em Limeira, tinha familiares em Flórida Paulista e muito amigos.
     …

O milagre de Maria

Imagem
*Por: Cleber Benvindo



O milagre de Maria
  A mãe chega do trabalho e vai depressa cuidar da cozinha, enquanto isso a menina observa a jovem mulher, que coloca todos os ingredientes para fazer o bolo. Maria por volta de seus seis anos tem gestos delicados, mas parece muito séria. A menina tinha curiosidade e perguntava sobre tudo, mas naquele momento, parecia apenas observar.
Após alguns minutos a mãe coloca o bolo no forno. A garota que estava quieta não se aguenta em si e se põe a questionar. - Mãe, ontem antes de deitar você havia dito que milagres eram coisas que aconteciam e ainda não tinham explicação. - Sim filha, eu disse isso. - Hoje eu procurei um milagre – diz com um sorriso angelical. - E achou? – pergunta a Mãe, com a testa franzina, enquanto lavava umas folhas de alface. - Enquanto dormia em seu quarto, percebi que acordou minutos antes do relógio despertar... - Isso é normal filha, é o hábito. - Lembra os galhos da árvore lá de fora, que o papai cortou naquele final de semana. Hoj…